Praça de Pedágio de Jacarezinho tem cancelas liberadas após notificação judicial

As cancelas da praça de pedágio de Jacarezinho, no Norte Pioneiro, foram liberadas após a concessionária Econorte ser notificada pela Justiça na tarde desta sexta-feira (23). A liberação ocorre após determinação da Justiça Federal.

Além da liberação das cancelas, a Justiça ainda determinou a redução do valor das tarifas cobradas pela Concessionária Econorte em 26,75%. A decisão é liminar.

O documento é assinado pelo juiz da 1ª Vara Federal de Jacarezinho, Rogério Cangussu Dantas Cachichi, que informou que a redução do valor do valor do pedágio se aplica a praça de Jataizinho, na mesma região do estado, e, em caso de reinstalação, à Praça de Pedágio em Sertaneja.

Os valores de pedágio cobrados nas praças de Jacarezinho e Jataizinho são os mais caros do estado.

Na praça de pedágio de Jataizinho, antes da determinação, o valor cobrado para a passagem de um carro custava R$ 22, em Jacarezinho o valor era de R$ 20,30.

Com a imposição de um novo valor, a Econorte passou a cobrar, nesta sexta-feira, R$ 16,10 por carro na praça de Jataizinho e R$ 13,85 na praça de Sertaneja.

Outras determinações
Também foi determinado que a empresa retome o cronograma de obras da concessão firmado com o Governo. As obras do contorno Norte de Londrina devem ser iniciadas em 30 dias, conforme a Justiça Federal.

A Justiça ainda determinou o bloqueio de mais de R$ 1 bilhão nas contas do Grupo Triunfo Econorte, que controla a concessionária. O valor soma os prejuízos causados pela empresa e os danos morais coletivos.

Segundo a ação proposta pelo MPF, a soma dos pagamentos feitos a empresas de fachada, das tarifas abusivas e das obras suprimidas dos contratos ultrapassa R$ 529 milhões.

Somente o prejuízo gerado pelas tarifas abusivas, chega a R$ 159 milhões, conforme os cálculos dos procuradores.

A Concessionária Econorte disse que foi intimada da decisão e já está cumprindo a determinação da Justiça.

A concessionária tomará todas as medidas legais e judiciais cabíveis para assegurar seus direitos em face da decisão. LEIA MAIS

FONTE – G1-PR

Deixe uma resposta