Luísa Canziani vence a categoria Defesa da Educação na escolha do júri do “Congresso em Foco”

A deputada Federal Luísa Canziani (PTB-PR) é a vencedora da categoria especial “Defesa da Educação” do Prêmio Congresso em Foco 2020, segundo escolha do júri especializado do prêmio, que é formado por representantes de quatro segmentos da sociedade.

Representante de municípios da mesorregião do Norte Pioneiro e Norte Novo, a deputada também venceu na categoria “Melhores da Câmara”, o que demonstra sua personalidade forte em defesa da educação e da região.

Ela agradeceu o reconhecimento e dividiu a premiação com toda sua equipe e com os seus eleitores. “Eu divido esse prêmio com a minha equipe, com meus mentores e com meus colegas parlamentares.

A gente quer um país mais justo, mais igualitário e o caminho para isso é o caminho da boa política, da construção de pontes para atingirmos nossos objetivos”, destacou a parlamentar.

A categoria “Defesa da Educação” foi criada pelo Prêmio Congresso em Foco em parceria com a organização Todos Pela Educação com o objetivo de reconhecer o trabalho dos congressistas que atuam pela educação no país.   

O segundo lugar desta categoria ficou com a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), eleita melhor deputada pelo júri do ano passado.

O deputado Professor Israel (PV-DF), também se destacou. Os vencedores do Prêmio Congresso em Foco 2020 foram anunciados em cerimônia virtual realizada na quinta-feira (20) transmitida pela página do Congresso em Foco.

Na ocasião, a  vitória da deputada Luísa Canziani  foi anunciada pela presidente do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.

De acordo com a assessoria da deputada Luísa Canziani, o júri é uma das três formas de escolha dos vencedores do Prêmio Congresso em Foco 2020, junto com a votação da internet e a dos jornalistas.

O objetivo do júri é fazer uma avaliação especializada dos parlamentares, de acordo com a visão e o posicionamento de vários segmentos da sociedade.

Por conta disso, o corpo de jurados foi formado com o objetivo de garantir pluralidade na votação, com representantes de quatro diferentes segmentos da sociedade: o acadêmico, o empresarial, o trabalhista e o terceiro setor, além de um representante do Congresso em Foco.

Na avaliação feita pelo júri, os principais critérios levados em consideração foram: assiduidade em sessões deliberativas; participação nos debates do Parlamento; apresentação de propostas legislativas; capacidade de articulação política; combate à corrupção e uso consciente dos recursos públicos; além da defesa da democracia e do desenvolvimento sustentável.

Só puderam ser votados aqueles congressistas que não respondem a inquérito ou ação penal e que exerceram o mandato por pelo menos 60 dias neste ano. (Rádio Web CP com texto de Marcos Brito).

Deixe uma resposta