Hospital Regional de Cornélio pode antecipar tratamento do Covid 19 no Norte Pioneiro

Com uma capacidade de 33 novas Unidades de Tratamento Intensivo, UTIs, o Hospital Regional de Cornélio Procópio deverá se tornar uma importante referência regional no atendimento de doentes com o Corona Vírus no Norte Novo e Pioneiro.

Segundo o prefeito Amin Hannouche,  o hospital está com mais de 70 por cento de suas obras concluídas. Ele afirmou que está aguardando recursos para a compra de equipamentos e a definição do gerenciamento da unidade para colocar o hospital em funcionamento.

O prefeito destacou ainda que esta semana o Cisnop – Consórcio Intermunicipal e Saúde do Norte do Paraná, aprovou por unanimidade, a destinação de R$ 6 milhões que seriam utilizados na construção de sua sede nas proximidades do Hospital Regional.

Amin Hannouche destacou que os outros R$ 6 milhões haviam sido confirmados pelo governo do Paraná, através da Secretaria de Saúde para esta obra, mas poderá ser utilizada na conclusão do Hospital Regional.

Estes R$ 6 milhões são provenientes de Emenda Parlamentar do deputado Federal  Toninho Wandscheer (PROS-PR), que atualmente comanda a Bancada do Paraná, no Congresso Nacional, disse o presidente do Cisnop, Gimerson Subtil, prefeito de Sapopema.                                          

“O Deputado Wandscheer concordou em repassar estes recursos para o HR. Esperamos que o governo faça a mesma transferência para que o Hospital possa funcionar o mais breve possível”, acrescentou Gimerson Subtil, observando que o prefeito Amin Hannuche (PSC) afirmou durante reunião com prefeitos e deputados, que em curto prazo, o Hospital Regional poderá ser a solução para o atendimento ao Covid 19 e outros atendimento de média e alta complexidade.

“O Hospital Regional de Cornélio Procópio é a maior obra física da região norte do Paraná, concebido para atendimento de toda a população regional.

Possui 33 UTIs, que poderão ser utilizadas neste momento para atender os pacientes do COVID-19 e quando as coisas se normalizarem, aos atendimentos de diversas doenças. É a grande solução de saúde para nossa região, fato histórico na vida dos munícipes”, avaliou o prefeito.

Prefeitos e deputados visitam hospital e garantem apoio

A reunião realizada recentemente no Centro Cultural de Cornélio Procópio foi prestigiada por prefeitos do Cisnop e da Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná) e pelos deputados Estaduais Luiz Claudio Romanelli, Tercírio Turini e Cobra Repórter.

Na ocasião, os parlamentares manifestaram apoio irrestrito à conclusão do Hospital Regional de Cornélio Procópio.

“Nós temos que concluir este hospital para não sobrecarregar o Hospital Universitário de Londrina, hoje a única referencia para o Covid 19 na região, caso a pandemia alcance o Norte Pioneiro”, disse Tercírio Turini.

O deputado Cobra Repórter garantiu apoio ao término do hospital para que a região tenha uma referencia no atendimento dos casos que poderão atingir a região. “Vamos conversar com o Governador Ratinho Junior e com o Secretário de Saúde, Beto Preto para alocarmos recursos a este importante hospital regional”, afirmou.

Para o deputado Romanelli, 1º Secretário da Assembleia Legislativa, este hospital representa um avanço significativo no atendimento da saúde e toda a região. “Sozinho, este hospital terá capacidade de ampliar para 70 leitos de UTI a disponibilidade em toda a região, mais que dobrando o número existente hoje”, destacou.

Acompanhados do prefeito Amin Hannouche, prefeitos e parlamentares foram ao Hospital conhecer as instalações que estão concluídas.

Hospital Regional

Construído em uma área de 7.613,77 metros quadrados, o Hospital atenderá cerca de 220  mil moradores das cidades de Assaí, Bandeirantes, Congonhinhas, Cornélio Procópio, Curiuva, Itambaracá, Leópolis, Nova América da Colina, Nova Fátima, Rancho Alegre, Santa Amélia, Santa Cecília do Pavão, Santa Mariana, Nova Santa Bárbara, Santo Antônio do Paraíso, São Jerônimo da Serra, São Sebastião da Amoreira, Sapopema, Sertaneja e Uraí.

A unidade hospitalar foi conquistada em 2010 através de uma Emenda Parlamentar de Bancada Concentrada, de R$ 15  milhões, de todos os municípios da Amunop e apresentada pelo então deputado federal Alex Canziani (PTB-PR).

Outros R$ 15 milhões para a compra de equipamentos também foram aprovados, mas por causa do atraso na sua conclusão, os recursos foram devolvidos para Brasilia. Pelo projeto, o hospital prevê terá três blocos com centros cirúrgicos, leitos de enfermaria e 140 leitos.

De acordo com prefeito Amin Hannouche, as obras de acabamento deverão ficar prontas em 80 dias. (texto: Marcos André de Brito) (Fotos – Comunicação-Prefeitura)

Deixe uma resposta