Cornélio Procópio terá palestra para mostrar os malefícios e as consequências da dependência química

Com a namorada Letícia, um trabalho voluntário na luta contra o vício. – Foto: Comunicação/Prefeitura

Um momento  de discussão para mostrar as dificuldades geradas pela dependência química. Também, um alerta de prevenção para evitar o envolvimento com as drogas e o álcool a ser feito por quem já viveu no submundo da dependência. Este será o tema da  palestra a ser proferida em Cornélio Procópio  pelo ex-usuário Oséias Oliveira Santos.  Ex-frequentador da “Cracolândia”,  o enxurro das drogas,  se superou e hoje trabalha com o tratamento e a prevenção.

A palestra conta com o apoio da Prefeitura do Município, através da Secretaria Municipal de Promoção Social e será no próximo dia 22, na igreja “Mensagem da Cruz”, das 19 às 20 horas.  Orientações para pais e filhos sobre as dificuldades geradas pela dependência química e alerta para a importância das conversas em família como prevenção para evitar o envolvimento dos jovens com as drogas serão os principais temas da palestra.

“É um momento em que vamos receber membros de famílias e amigos de pessoas que sofrem com drogas e álcool. Vamos falar da codependência porque é uma doença que acaba desencadeando e atingindo a família por conta do usuário. Assim, também é  um fator de risco para usuários e os que se encontram em fase de recuperação. Por ter uma família codependente, acaba voltando ao uso das drogas”, adianta Oliveira.

Ao lado da namorada  Letícia Rodrigues, atua como terapeuta em  um centro de reabilitação para dependentes químicos e alcoolismo em Cornélio Procópio. Localizado no Distrito de Congonhas (10 quilômetros da área central do município) , coordena a instituição física de Yeshua, voltada ao acolhimento de dependentes que, além de alimentação, recebem trabalhos psicológicos e acompanhamento com profissionais de saúde.  

Exemplo de superação

Em suas palestras Oséias faz questão de falar das amarguras que o seguiram nessa fase de obscuridade, como também, do processo de recuperação, como mostrou recentemente no programa de televisão  Encontro, apresentado por Fátima Bernardes,  na TV Globo. “O processo de uso não é uma coisa imediata. As perdas vão acontecendo gradativamente e o usuário não consegue identificar o que está perdendo”,  explicou.

Também, durante a entrevista, confessou que nem mesmo o suicídio, como pretendia, conseguiu praticar tal era o seu estado de dependência. “Pensei comigo: nem mesmo para morrer eu presto. Foi assim que me conscientizei sobre a necessidade de pedir ajuda até sair desse submundo que demorou 5 anos até me livrar do vício”, confessou em um trecho da longa entrevista que concedeu à apresentadora. A igreja  “Mensagem da Cruz” fica na Avenida Amazonas, 375,  Jardim Bela Vista. (Rádio Web CP/Comunicação/Prefeitura).

Deixe uma resposta