Municípios da Amunop decidem não retornar aulas presenciais a partir de 18 de fevereiro

Os municípios que integram a Amunop – Associação dos Municípios do Norte do Paraná – decidiram, em reunião extraordinária, realizada recentemente, que não deverão retornar as aulas presenciais a partir do dia 18 de fevereiro, como pretende o Governo do Estado.

Segundo o presidente da entidade, Amin José Hannouche, prefeito de Cornélio Procópio, o aumento dos casos da Coronavirus, falta de leitos de UTIs e Enfermarias nos Hospitais de Referência para o atendimento à Covid 19 da microrregião, preocupa prefeitas e prefeitos da Associação.

“Nós já estamos sem leitos para atender a demanda regional em Cornélio Procópio e em outros hospitais de região. O retorno neste momento seria muito imprudente e arriscado para todas as prefeituras”, disse Amin Hannouche.

A Amunop aprovou por unanimidade, uma Resolução, que orienta procedimentos a serem adotados pelos municípios que integram a Associação neste período de aumento dos casos da Covid 19.

De acordo com o documento, fica suspenso, por tempo indeterminado, o retorno às aulas em Escolas Municipais da Microrregião da Amunop, a partir do dia 18 de fevereiro de 2021.

Ficou estabelecido que neste período, serão permitidos modelos híbridos não presenciais nas escolas.

Para o prefeito de Congonhinhas, José Olegário, os municípios não dispõem de logística adequada para atender o aumento de casos com o retorno às aulas. “O momento é de prudência. Não há como retornar às aulas sem uma estrutura que permita a segurança de professores, trabalhadores na educação e, especialmente, nossos alunos”, afirmou.

Ainda na reunião da Amunop, foram aprovadas a suspensão do Feriado de Carnaval nos dias 15 e 16 de fevereiro e Moção de Apoio ao aumento de Leitos para atender pacientes com Covid 19 em Hospitais da região. (Rádio Web CP/Comunicação-Amunop)

Deixe uma resposta