Lavouras da região de Cornélio terão grande prejuízo por causa da estiagem

Um prejuízo significativo nas culturas do milho safrinha e trigo na região de Cornélio Procópio foi causado pela maior estiagem das últimas quatro décadas.

Nos meses de abril, maio, junho e julho, a média de chuva atinge 352 milímetros, porém, neste ano, choveu apenas 93 milímetros ou apenas 25 por cento do esperado.

A informação foi prestada pelo Diretor do Deral da Secretaria da Agricultura, Santo Pulcinelli. Segundo ele, o reflexo da estiagem nas culturas plantadas na região é visível.

Os números apontam uma colheita do milho safrinha em torno de menos de 600 mil toneladas, enquanto a expectativa era de atingir até um milhão de toneladas.

“Isso representa uma redução na produção em torno de 40 por cento. A colheita dessas lavouras chega a 90 por cento e os 10 por cento que ainda restam apresentam uma produtividade considerada de índice baixíssimo”, comentou.

A colheita do trigo ainda não foi iniciada na região, porém, já é possível ter uma estimativa dos prejuízos por causa da estiagem prolongada.

“A previsão é de que a queda de produtividade atinja cerca de 50 por cento”, disse.

Com relação ao milho safrinha, de acordo com entendimento do Deral, é que os preços de mercado estão bem melhores que no ano passado, quando o preço da saca era negociado a R$ 17,00. Neste ano, a saca está atingindo R$ 32,00.

Em geral, a manifestação dos produtores é de preocupação com o atual panorama das culturas afetado pela falta de chuva nos últimos meses. (Texto: Rádio Web CP).

Deixe uma resposta