Justiça decide bloquear bens de ex-servidores acusados de desvios de dinheiro público em Bandeirantes

A 2ª Vara Civel de Bandeirantes (36 km de Cornélio Procópio) decidiu segunda-feira, 09, bloquear bens de quatro ex-servidores do município, avaliados em R$ 46 milhões, ao acatar pedido feito pelo MPPR, através do Gepatria (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa).

A indisponibilidade dos bens dos acusados tem a finalidade de resguardar os danos materiais causados e o pagamento de multa civil.

Para o Ministério Público do Paraná, os acusados são responsáveis por desvios de recursos públicos em benefício próprio.

A nota do MPPR diz ainda que, entre 2009 e 2018, os ex-agentes públicos com cargos no alto escalão,transferiam recursos públicos para a conta salário do Município, e, posteriormente, para suas contas pessoais.

Eles também adulteravam extratos bancários, assim como, usavam as chamadas “folhas avulsas” de pagamento da Prefeitura.

Tudo era feito de forma aparentemente regular, onde eles inseriam valores em suas folhas de pagamento ou nos empenhos, em montantes superiores aos devidos e permitidos por lei, referentes a férias, indenizações e horas-extras.

Os envolvidos, que chegaram a ser presos no decorrer das investigações, foram demitidos do serviço público, depois que ficaram demonstradas as práticas ilegais, e,  condenados em procedimento administrativo disciplinar instaurado pelo Município de Bandeirantes. (Texto: Rádio Web CP com informações do MPPR).

Deixe uma resposta