Instituto Harpia de Cornélio participa de exposição em shopping de Foz do Iguaçu

Em parceria com o Parque Tecnológico de Itaipu, o Instituto Harpia de Pesquisa em História Natural de Cornélio Procópio, dirigido pelo professor da UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná, João Galdino, está participando da Exposição Itaipu Natureza iniciada esta semana no Cataratas JL Shopping, em Foz do Iguaçu.

A mostra é aberta para o público de todas as idades com o objetivo de despertar o conhecimento sobre os diversos biomas brasileiros, apresentando exemplares da fauna em ambientes que simulam seus hábitats naturais.

É intenção dos organizadores despertar entre crianças e adultos, um sentido de preservação através do conhecimento.

Os visitantes vão ter contato com exemplares dos principais biomas brasileiros, entre eles a Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Pampas, Pantanal e Caatinga.

Outra finalidade da mostra é atrair a atenção para a importância da preservação e apresentar essa conectividade entre os seres humanos e a natureza.

Quem visitar a exposição terá a oportunidade de conhecer uma grande coleção de animais taxidermizados – técnica utilizada para empalhar e manter as características dos animais, além de diversas atividades interativas com recursos tecnológicos avançados, como a projeção mapeada, imersão 360o e telas interativas, entre outras atividades.

A coleção de animais taxidermizados tem a assinatura do Professor João Galdino, biólogo e dentista, diretor presidente do Instituto Harpia de Pesquisa em História Natural e professor da UENP – Universidade Estadual do Norte do Paraná.

O Instituto Harpia, de Cornélio Procópio/PR, possui um acervo de mais de 7.000 peças entre animais taxidermizados e objetos geológicos.

Todos os animais da coleção têm certificação e são oriundos de doações ou foram vítimas de caça ilegal, atropelamentos e envenenamentos.

Segundo João Galdino, o evento possui tudo para que o visitante tenha uma experiência única e que o aproxime desses biomas através de sensações e sentidos como a visão, tato, olfato e audição.

Idealizada a partir de uma linguagem simples e acessível, a exposição busca levar conhecimento a todos os públicos, independentemente da idade.

“Com isso, promovemos uma mudança na postura das pessoas para com a natureza e a preservação do meio ambiente”, disse Galdino. A Exposição Itaipu Natureza ficará disponível para o público até o dia 30. (Texto: Rádio Web CP com informações da Comunicação/Prefeitura).

Deixe uma resposta